AVISO

Meus caros Leitores,

Devido ao meu Blog ter atingido a capacidade máxima de imagens, fui obrigado a criar um novo Blog.

A partir de agora poderão encontrar-me em:

http://www.arocoutinhoviana.blogspot.com

Obrigado

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

As Jornadas "Fraternidade e Vida no Planeta" estão calendarizadas para Abril de 2012-Por fim talvez sejamos felizes -




As Jornadas "Fraternidade e Vida no Planeta" estão calendarizadas para Abril de 2012

A ONU declarou a Década das Nações Unidas para a Educação e o Desenvolvimento Sustentável dos anos 2005 a 2014.

Assim, o próximo 2012 será centrado como o "Ano Internacional de Energia Sustentável para todos".

Actualmente mais de 1,4 biliões de pessoas de todo mundo, não possuem acesso à electricidade e cerca de um bilião tem acesso intermitente, o que acarreta problemas de saúde e outros.

Segundo a ONU, em menos de 15 anos haverá1,8 mil milhões de pessoas a viver com escassez de água, o que significa um aumento de 900 milhões. Aliás, devemos referir que na Declaração do Milénio ficaram estabelecidos objectivos e metas a cumprir até 2015. Entre estas preconiza-se: "integrar os princípios do desenvolvimento sustentável nas políticas e projectos nacionais e internacionais, e inverter a actual tendência da perda de recursos ambientais; reduzir para metade, até 2015, a percentagem de população sem acesso permanente a água potável; e até 2020 melhorar significativamente a vida de pelo menos 100 milhões de habitantes de bairros degradados."

CARTA DA TERRA- Na Carta da Terra, proclamada pela UNESCO, no preâmbulo sublinha-se:

"Estamos diante de um momento crítico na história da Terra, numa época em que a humanidade deve escolher o seu futuro. À medida que o mundo se torna cada vez mais interdependente e frágil, o futuro reserva, ao mesmo tempo, grande perigo e grande esperança. Para seguir adiante, devemos reconhecer que, no meio de uma magnífica diversidade de culturas e formas de vida, somos uma família humana e uma comunidade terrestre com um destino comum. Devemos nos juntar para gerar uma sociedade sustentável global fundada no respeito pela natureza, nos direitos humanos universais, na justiça económica e numa cultura da paz. Para chegar a este propósito, é imperativo que nós, os povos da Terra, declaremos nossa responsabilidade uns para com os outros, com a grande comunidade de vida e com as futuras gerações."

SABER CUIDAR-Especialistas da Ciência da Terra constantemente fornecem dados preocupantes acerca do ambiente. Os Ecologistas, Filósofos e Teólogos, procuram, através de foruns, da comunicação social, debates e reflexões à qualidade de vida, e alguns lançam o grito: "A ÁGUA TEM SEDE DE ÁGUA". O filósofo Leonardo Boff publicou o livro "Ecologia, grito da Terra, grito dos pobres", tão valorizado no mundo, que mereceu ser convidado pela UNESCO para integrar a Comissão
Internacional encarregada de receber contribuições para a referida Carta da Terra.




É interessante referir que por causa da transposição do rio S. Francisco, no Brasil, o bispo Dom Luiz Cappio fez uma greve de fome, ou jejum prolongado.

O citado teólogo, filósofo e ecologista Leonardo Boff escreve que é preciso "SABER CUIDAR":

" Mitos antigos e pensadores contemporâneos dos mais profundos ensinam-nos que a essência humana não se encontra tanto na inteligência, na liberdade ou na criatividade, mas basicamente no cuidado. O cuidado é, na verdade, o suporte real da criatividade, da liberdade e da inteligência. No cuidar se encontra o ethos fundamental do ser humano. Quer dizer no cuidado identificamos os princípios, os valores e as atitudes que fazem da vida um bem-estar e das acções um reto agir.

Sonhamos com o cuidado assumido como ethos fundamental do humano e como compaixão imprescindível para todos os seres da criação.

Para cuidar do planeta precisamos todos de passar por uma alfabetização ecológica e rever os nossos hábitos de consumo. Importa desenvolver uma ética do cuidado."

LEGADO ÀS GERAÇÕES FUTURAS-Também Bento XVI na encíclica "A caridade na verdade" questionando "o desenvolvimento dos povos, direitos, deveres, ambiente" sublinhava: "O homem interpreta e modela o ambiente natural através da cultura, a qual, por sua vez, é orientada por meio da liberdade responsável, atenta aos ditames da lei moral. Por isso, os projectos para um desenvolvimento humano integral não podem ignorar os vindouros, mas devem ser animados pela solidariedade e a justiça entre as gerações, tendo em conta os diversos âmbitos: ecológico, jurídico, económico, político, cultural."

As comunidades cristãs são chamadas a "dar sabor evangélico aos grandes valores da paz, da justiça, do desenvolvimento, da libertação dos povos, do respeito aos direitos humanos e dos povos, sobretudo das minorias, como também da salvaguarda da criação e do futuro de nosso planeta", como referiu recentemente um jornalista reconhecido.

CASAMENTO ENTRE O CÉU E A TERRA-"Hoje encontramo-nos numa fase nova na humanidade." Todos estamos regressando à Casa Comum, à Terra: os povos, as sociedades, as culturas e as religiões. Todos trocamos experiências e valores. Todos nos enriquecemos e nos completamos mutuamente. (...)... (...) Vamos rir, chorar e aprender. Aprender especialmente como casar Céu e Terra, vale dizer, como combinar o quotidiano com o surpreendente, a imanência opaca dos dias com a transcendência radiosa do espírito, a vida na plena liberdade com a morte simbolizada como um unir-se com os ancestrais, a felicidade discreta nesse mundo com a grande promessa na eternidade. "E, ao final, teremos descoberto mil razões para viver mais e melhor, todos juntos, como uma grande família, na mesma Aldeia Comum, generosa e bela, o planeta Terra."

"Casamento entre o céu e a terra", Salamandra, Rio de Janeiro, 2001, pg. 9 (Leonardo Boff)

NOVOS ESTILOS DE VIDA PARA SER FELIZ

É o tema geral da catequese na Comunidade Paroquial de Nossa Senhora de Fátima, da cidade de Viana do Castelo, atenta aos problemas nesta fase da humanidade e indicando "guardar e cultivar a criação" (Gn. 2, 15) também planificar a formação de adultos escolhendo como tema: "FRATERNIDADE E VIDA NO PLANETA".

Assim foram definidos objectivos, destacando-se entre outros: "Melhorar a qualidade da vida humana; modificar atitudes e práticas pessoais; perspectivar o desenvolvimento com valores éticos":

As sessões decorrem em horário pós-laboral, de quinze em quinze dias, com intervenções de especialistas das Ciências da Terra e das Ciências Sociais, abordando temáticas que vão desde "o desenvolvimento dos povos, ecologia ambiental, social, mental, integral, às alterações climáticas".

Uma sessão decorrerá à volta das reflexões do chefe índio de Seattle, de 1854 divulgado pelas Nações Unidas em 1976, e que ficou como uma significativa referência " ensinem aos vossos filhos, que a Terra está enriquecida com a vida dos nossos semelhantes, para que saibam respeitá-la…Tudo quanto acontecer à Terra, acontecerá aos filhos da Terra...O homem não teceu a rede da vida, ele é só um elo do seus fios…"

"POR FIM TALVEZ SEJAMOS IRMÃOS" assim se intitula a mensagem do CHEFE SEATTLE (1854)

Boas Festas Natalícias, fomentando a conservação da criação, construindo a FRATERNIDADE.

José Rodrigues Lima,
Tel: 258829612 - Tlm: 938583275 - Email: jrodlima@hotmail.com


Sem comentários: