AVISO

Meus caros Leitores,

Devido ao meu Blog ter atingido a capacidade máxima de imagens, fui obrigado a criar um novo Blog.

A partir de agora poderão encontrar-me em:

http://www.arocoutinhoviana.blogspot.com

Obrigado

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Os Zamiths eram de MALTA? Família de Viana desde o século XVIII


Os Zamiths
Não quero ser exaustivo, nem escrever dos Zamiths em geral. Esta ideia partiu-me do Padre Zamith que ouvi muitos idosos a falar dele e de uma nossa voluntária Maria Antonieta Sá Zamith Passos, nascida a 15. XI de 1948 em Stª Maria Maior, Viana, como a maioria dos Zamiths que para aqui vieram, suponho de Malta.
A Ordem de Malta à qual inúmeros portugueses aderiram e para lá foram e ficaram, como para cá malteses vieram e aqui permaneceram. Hoje ir a Malta é interessante porque há muito portugesismo. Encontramos força de nomes portugueses em Malta.
A rua da Bandeira era uma povoação dos Zamiths, com uma grande quinta entre a Bandeira rua de S. Bento e a Quinta dos Quesados e a Papanata, onde existiu uma fábrica de cortumes e por trás uma capela de que foi proprietária Maria Delfina Zamith que se reconhecia muito bem ainda em 1982,com sineira e de porta virada à Quelha da Papanata, descoberta e paredes em pé, mas já desconhecia-se em 1978 o santo da invocação.

A família de Santa Marta





Da família Zamith conheci a casa do falecido “Zé d’Anha”, hoje da filha Armanda e do Manuel Loureiro e transformada e ainda restos da fábrica de cortumes , onde foi o Nosso Café que foi mais tarde dos “Santinhos” por casamento de uma Zamith. A casa do Zé Azevedo ou Martisna tenho ainda alguns documentos da sua originalidade com um tecto artisticamente belo em estuque e até possuo em arquivo os nomes dos seus autores que eram da Areosa e Carreço e o ano em que esse tecto foi feito.
A Maria Antonieta era filha de José Inácio Pinto Zamith Passos, funcionário do comissariado de Desemprego, nascido em 1923, em Stª Maria Maior, como quase a totalidade dos Zamiths.

Avô e avó da Antonieta







Casou Maria Antonieta com o Silvestre António Nogueira da Cruz, em Campanhã, Porto.
Era Neta de José Marçal Zemith Passos e de Maria da Conceição Pinto, do Rio de Janeiro. Ao mesmo tempo era bisneta de Inácio José de Passos e de Maria Delfina Zamith de Passos. Prima dos Zamiths de Stªa Martinha, Stª Marta de Portuzelo.
O seu pai casou duas vezes. Da primeira vez casou com Maria Virgínia Arriscado Lacerda e Sá, de Stª Maria Maior, Maria das Dores Amorim, de V. Nova de Anha.

A Primeira Comunhão do irmão






O primeiro casamento houve 4 filhos: sendo a Maria Antonieta uma filha do primeiro casamento que deu a seu marido 4 filhos: a Virgínia Zamith Cruz, o Silvestre Zamith Cruz, A Maria Elizabete Zamith Cruz e do segundo casamento o seu pai teve 2 filhos; a Maria Delfina Zamith Passos.

Festas da Agonia









É irmã de José Manuel Sá Zamith Passos Eugénio técnico operário industrial da hotelaria e piloto de celebridades, tendo recebido vários troféus, um deles o “troféu Toyota de velocidades, nasceu em 1947 ou Stª Maria Maior, casou com Maria Alice Aleixo, minha ex-colega como professora da Escola de Stª Maria Maior.
Este Zamith relacionei-me com ele várias vezes, mas há uns anos que não o vejo. É pai de Pedro Aleixo Zamith e de João Miguel Zamith.

Procissão de Nª Sª da Agonia







Foi esta família prendada de muitas vocações religiosas, assim o foi João José Zamith, seguiu a vida religiosa, bem como Frei João de stª Teresa, Carmelita Exgresso, natural de Stª Maria Maior e nascido a 27 – XII – 1797. Faleceu em 16 de Julho de 1893, dia de N. Srª do Carmo e, segundo consta, morreu quando o andor de Senhora do Carmo ia a passar em frente a sua casa.

Antonieta







Herdou ele de seu primo Pe.. Severino António Brandão Zamith uma importante biblioteca que a legou ao seu sobrinho, nascido em 8 de Abril de 1833. Foi para o Brasil, com outro primo com o mesmo nome José Luís Zamith que nasceu em 1867. Foi capelão do exército, foi condecorado e regressado foi coordenador de um Jornal “ O Comércio de Lima” em 1901, vindo a falecer a falecer onde onde estava comoi Capelão no Hospital Velho dos Entrevados da Congregação de Nossa Srª da Caridade, na cidade de Viana.

Convívio familiar








O P.e Severino, foi do hábito de S. Pedro e senhor de um prazo em S. Martinho de Gandra, Ponte de Lima, de outro na Gemieira, foi exposto até à data de casamento dos pais. Deixou testamento e morreu em Monserrate, à Rua do Marquês, e sepultado na campa rasa do seu primo Frei João de Stª Teresa.
O P.e Severino “era muito instruído e de génio muito particular, doente, leccionando gramática Latina” O seu sobrinho Frei João de Stª Teresa legou ao Pe. José Luis Zamith que por sua vez, a deixou à Congregação do Espírito Santo a referida biblioteca. Não só sacerdotes de à Igreja, também muitas vocações femininas entre elas as seguintes:
Maria Virgínia Santos Megre Barbosa, Franciscana da Imaculada, nascida em 1943;
Maria Delfina Zamith Passos Silva, nascida em 1921 e falecida recentemente, no Carmelo de Viana;
Maria Carolina Passos da Silva, Missionária da Congregação das Irmãs do Espírito Santo, nascida em 1935;
Maria da Conceição Passos Silva, Carmelita do Mosteiro do Coração Imaculado de Maria, em Carvalhosa, Passos de Ferreira, nascida em 1938.
Esta família teve o seu epicentro em Viana do Castelo, em Stª Maria Maior, Onde todos nasciam, na maioria. Foi família de certa nobreza, rica, e muito bem classificada e colocada na sociedade, na vida pública: médicos, padres, freiras, juristas, professores, industriais, etc…
Ainda hoje se reúne a família como a 27 de Junho deste ano, em Braga, na Igreja dos Congregados, às 12 h. com Missa e depois almoço e convívio no Fraião [casa da tia Maria (Via Falperra)] – Cf.- Bibliografia subsídio para a genelogia da família Zanith, ramo Maltês, de Luis Veloso Ferreira, 2005.Cf. Arquivo Alto Minho nº 1964 – A Patuleia
















A.C.

2 comentários:

jose carlos sousa disse...

Boa noite Senhor Coutinho,
O seu artigo é muito interessanre.Parabéns.
Tem fotografias da Maria Antonieta, filha do Silvesre Cruz e da Maria Antonieta? Vivi um amor desamado e não possuo qualquer foto dessa mulher.Sei que casou e teve um filho.É curioso os filhos terem os nomes dos progenitores.

carlos disse...

Senhor Coutinho, veja se arranja emprego à Antonieta. Proteja filhinho dela