AVISO

Meus caros Leitores,

Devido ao meu Blog ter atingido a capacidade máxima de imagens, fui obrigado a criar um novo Blog.

A partir de agora poderão encontrar-me em:

http://www.arocoutinhoviana.blogspot.com

Obrigado

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Manuel Freitas - o da Castra - Mazarefes--Aumentado


Manuel de Castro




Manuel de Castro Freitas, natural de Mazarefes, filho de José de Passos Freitas e Maria Rodrigues de Castro, fez-me uma visita. Mais velho do que eu; fez a Escola Primária de Mazarefes como aluno muito bom . Nasceu na casa dos canelas que foi casa dos Pintos onde havia ao lado umas casas velhas e muros que eu conheci por trás do quintal do “Zé da Vila”, pai do Avelino Reis. Essas casas caíram todas e foi numa dessas casas onde o pai de Manuel Freitas caiu e morreu. (Ainda me parece haver um gaveto por trás da casa do falecido António Liquito) que servia de servidão às referidas casas.
Depois de viver nesse local foi viver na casa das Bernardas, Constantino, irmão do marido de uma   da Carmelita, uma casa datada do primeiro quartel do século XVIII. Vivia com a família numas antigas cortes. A partir daí e em colaboração com toda a Freguesia e  S. de S. Vicente de Paulo foi viver para uma pequena casa da Quinta dos matos que anteriormente tinha sido da família do Padre Manuel Azevedo Portugal. Nessa casa, RECORDA-ME DE TER MORRIDO A IRMÃ- a Fátima com 10 ou 11 anos. Serviam-se da água da "Fonte dos anjinhos" que ficava junto ao Moinho do Reis e depois da presa de água apanhada do Ribeiro e das nascentes no monte de Santo Amaro, em Sabariz, que nascia em Vila Fria.

O primeiro trabalho de Manuel Freitas foi na minha casa, a trabalhar para o meu avô desde que saiu da Escola, depois foi para o Hotel de Stª Luzia, Pousada de S. Teotónio em Valença e, por fim, no Hotel Rally. Casou com uma senhora de Esposende, foi para a França, onde se instalou em Tarrascon com casa própria onde criou e educou duas filhas.

O Manuel Freitas é da família dos Pugas desta Paróquia através da falecida Deolinda Puga e era irmão de José, Maria Esperança, Graciano, Fátima e Amélia.

O Graciano e a Amélia morreram crianças. a Fátima era minha colega na Escola e faleceu sem se saber de quê nessa altura. Os outros irmãos eram casados e com geração.

O pai trabalhava na Doca num compressor a dar ar aos mergulhadores para rebentar os grandes penedos.
O Manuel tinha 6 anos deixando 7 irmãos e agora e o único vivo.

A mãe, filha de Ana Fernandes de Castro e irmã de José Rodrigues de Castro, era doméstica e nasceu em 1910, o pai em 1909, em Santa Marta de Portuzelo.

O Manuel Freitas é um hábil desenhador e pintor. Tem quadros belos e tem feito exposições em França.
Manuel Castro Freitas nasceu a 26 de Janeiro de 1943.

2 comentários:

marmol disse...

As memórias de infância perduram para sempre e é bom lembrá-las. Fazem-nos sentir jovens.

acoutinhoviana disse...

É bom ter sempre no presente o passado para melhor construir o futuro.